tarde cítrica

24 11 2008

dedicatória: para d.
para ler ouvindo: saudosismo de caetano veloso

De repente, parecia que a tarde ensolorada e quente tinha parado, congelado no tempo. Trazendo lembranças esquecidas, velhos guardados, talvez e até tudo o que tinha sido encerrado no passado. Ou quase.

Vê-lo, pôr os olhos em ti foi uma experiência estranha, desconcertante. E a tarde se arrastou, mas não foi um arrastado modorrento, pesado, mofento. Foi cítrico, quase alegre, abraçado numa nostalgia que não sabe parar.

Esses dias quentes de veranico que não se decidiam entre voltar ao inverno ou avançar no verão me deixavam atordoada e saudosista. Saudosita de cenas vividas no passado, emoções à flor da pele, alegrias irrestritas, responsabilidades adiadas… vento sol sorriso sorvete areia da praia banco da praça olhares de esguelha escondendo a felicidade…

E sonhos. Num tempo onde tudo poderia ser. Nada era impossível. Não havia amargura ou, se havia, era pouca, praticamente uma besteira, nada que angustiasse a alma profundamente. Nada que trouxesse dúvidas existenciais ou vontade de morrer. A vida era leve e, apesar de não ser rica, era cheia de pequenas felicidades.

Naquele momento congelado, pouco importava que, agora, tudo fosse tão diametralmente diferente. A vida era assim e nunca seríamos os mesmos para sempre. Então, pela brevidade de algumas horas, eu me deixei envolver naquela névoa de vapor fictício como se todos os medos e remorsos e dores pudessem ser superados para sempre e eu pudesse ser, novamente – ainda que talvez pela última vez – alguém com a alma e o coração leves.

A tarde se demorou a passar, mas era um pouco como o gosto de uma liquirizia que vem amargo e por fim fica adocicado na boca. Assim era aquela tarde. Límpida, febril e repleta de ternura.

tarde citrica

miki w. | 25.out.2008

ilustração da autora
tarde cítrica
23.nov.2008
lápis, tinta de caneta tinteiro, lápis de cor aquarelável, pastel à óleo, pó de arroz e sombra s/ papel
32,5 x 47,5 cm

Anúncios

Ações

Information

4 responses

24 11 2008
karen

Muito bonito, Miki!

25 11 2008
miki

tks, karen! adorei escrever este. e apesar de ele ter mudado bastante enquanto gavetava, fiquei felizinha com o formato final, embora tenha uma ou outra coisa que ainda me incomode e eu não saiba dizer o que é.

tb demorei pra publicar pq não conseguia ilustrar… a ilustra não ficou assim favorita, mas acho ok!

bjs!

25 11 2008
Patrícia Kalil

Tão lindo, Miki. Adorei seu texto “cítrico, quase alegre, abraçado numa nostalgia que não sabe parar”. Me emocionou.
Parabéns, meninas! Karen, prazer! hihi Eu já acompanho cá e lá seus textos/livros/receitas e latas de nescau no kafka também =^). hihi
Um beijo,
Pat

25 11 2008
miki

pat fofa!
adoro saber suas impressões.
sempre.
bjs, querida!
miki

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: